Sobre nós

A Associação Cultural e Recreativa da Orquestra Ligeira – A Transdouriense (ACROLAT’in) é uma Associação sem fins lucrativos, feita pelos sócios e para os sócios. Esta, escolhe um Presidente e uma direção, segundo definido nos estatutos, para dirigirem a Associação. No entanto, num sentido mais abrangente, pode-se considerar que qualquer sócio pode ter a iniciativa e trabalhar em prol da Associação, dentro dos seus princípios orientadores. Mais do que de posições na hierarquia, a ACROLAT’in deve funcionar pelo empenho dos seus sócios, na prossecução dos objetivos desta Instituição. Assim, será sempre dada autonomia a qualquer sócio para trabalhar, de forma individual ou com outros sócios da instituição projetos musicais, projetos institucionais, produção de espetáculos, ofertas formativas nas diversas áreas e, de maneira em geral, projetos de prestação de serviços, desde que enquadrados nos estatutos da Associação, que beneficie a mesma e a região.

No entanto, em qualquer organização, seja ela de que tipo for, é necessário haver uma estrutura que organize e supervisione o trabalho da mesma.

Assim, o Conselho Consultivo define-se como uma estrutura de apoio ao Presidente e à Direção, onde se analisa os vários projetos, o qual pode ou não conter elementos da mesma na sua coordenação, embora estes estejam inseridos na Associação.

Neste momento são da sua responsabilidade a coordenação a Orquestra de Jazz, a Marching Band, a Academia de Música, o Apoio aos Tempos Livres e recentemente em parceria com o Município de Vila Real estamos empenhados no Apoio à Família no âmbito do ensino musical.

De 2006 a 2014 após a criação da Orquestra Ligeira ACROLAT’in, trabalhou-se um reportório variado, passando da música popular portuguesa, música latina, ao pop rock e ao Jazz.

O primeiro concerto da Orquestra ACROLAT’in foi realizado em 2007 e após isso, esta Orquestra Ligeira tocou um pouco por toda a região, apresentando-se sempre num bom nível nos maiores palcos de Vila Real, Chaves, Lamego, Vila Flor, Santa Marta, Seia, São João da Pesqueira, Régua, Provesende, Celeirós, Oliveira de Frades, Tabuaço, Bragança, Guimarães, Ourense, etc.

Em 3 de Outubro de 2010, foi cedido à ACROLAT’in o edifício da Escola Primária de Abambres. Foi o culminar um processo de busca intensa de vários anos, no qual as entidades locais reconheceram que esta Associação tem uma importância estratégica e é uma mais-valia para a Região. A ACROLAT’in viu assim reconhecido o mérito do seu projeto e da sua dedicação.

Desde então tem desenvolvido uma academia de musica, conhecida como Academia de Musica e Artes de Vila Real. Onde procura promover um ensino diversificado, orientado para os vários estilos musicais, usando métodos de ensino modernos, eficientes e apelativos. Tem promovido workshops com músicos especializados para providenciar aos seus alunos uma oferta formativa mais abrangente, de forma a possibilitar a integração de diferentes tipologias de formações musicais, complementadas com diversas experiências, para encorajar e facilitar o “tocar para o público”.

Desde 2006 que tem vindo a evoluir e para isso tem contado com vários workshops & Masterclass sobre Jazz e improvisação. Os estágios de formação sobre Jazz, têm sido de trabalho intensivo para os seus músicos, na aprendizagem da linguagem do Jazz, e tem contado com nomes de peso da música nacional e internacional como Laurent Filipe, Marco Sannini, José Menezes, Filipe Melo, Pedro Moreira, Gonçalo Marques e Paulo Gomes.

A Orquestra de Jazz do Douro tem trabalhado de forma contínua com músicos e maestros com créditos firmados como Carlos Mendes, David Rodrigues, Carlos Taveira e Válter Osório, na área de Jazz com Laurent Filipe, Marco Sannini, José Teixeira e Rui Teixeira.

 

Desde 2015 que a “Orquestra de Jazz do Douro”, está a trabalhar com o maestro Valter Osório Palma um músico de créditos firmados, que tem desenvolvido um trabalho persistente de forma continua.

Em 2017 tivemos um estágio com o maestro e compositor Marco Sannini e a cantora Emila Zamorano, no âmbito dos “Tesouros da Canção Napolitana”.

A Orquestra ACROLAT’in durante a sua atividade sofreu várias mutações, transformando-se no que é a atual Big Band com o nome de “Orquestra de Jazz do Douro”.

Em junho de 2018 o musico e compositor Laurent Filipe em parceria com a ACROLAT’in levou a cabo um estágio, com o Coro Generation - Douro e Combo na preparação e apresentação o Hino do Douro no Teatro Ribeiro Conceição em Lamego.

Em julho de 2018 o maestro e músico Valter Palma e o Músico Leonardo Afonso contando com a colaboração dos músicos Paulo Pontes e Diogo Silva deram inicio ao projeto Orquestra Júnior ACROLAT’in. Esta formação já apresentou várias performances em publico, na zona histórica e no Teatro de Vila Real.

Presentemente podemos destacar a dinâmica desta associação no mundo das artes musicais, tendo como ex-líbris “Orquestra de Jazz do Douro” interpretando em palco o mais variado reportório escrito por vários compositores, seguindo-se da “Dixie Douro - Marching Band”, vocacionada para a animação de rua. Ao nível da educação a “Academia de Musica e Artes de Vila Real” (AMAVR), tem desenvolvido um excelente trabalho destacando-se o “Projeto S.O.M - Som na Origem da Música”, através da construção de esculturas sonoras, o projeto da “Orquestra Júnior ACROLAT’in”, através da exploração de novas linguagens musicais e recriação de performances, contando com o envolvimento de músicos oriundos de várias bandas filarmónicas e o projeto “Coro Generation – Douro “, desenvolvendo novas linguagens e performances a partir da musica atual.

© 2018 por ACROLAT'in

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now